Adsense elton

sexta-feira, 15 de março de 2019

Empreendedorismo feminino tem elevada participação no mercado

No mês da mulher, empresária Suzana Rocha, que atua na Região Pré-Amazônica, conta sua experiência e desafios do empreendedorismo feminino contemporâneo, que tem elevado de acordo com o Sebrae.

Empresária de Açailândia, Suzana Rocha, há 23 anos comanda a Mattriz Sports e se encaixa na empreendedora contemporânea maranhense



É inegável o crescimento do empreendedorismo feminino em nível nacional e estadual. No universo dos pequenos negócios, a participação feminina é cada vez mais forte. Elas tem superado cada vez mais desafios e flexibilizado seu próprio tempo no gerenciar da empresa com outras atividades da vida familiar.


A empresária de Açailândia, Suzana Rocha Brasil, tem o perfil da empresária contemporânea, ela faz parte das mais de 271 mil maranhenses que ganham a vida como empresárias tocando seus próprios negócios ou da família, e corresponde às 9,3 milhões de mulheres brasileiras, como detalha o relatório especial realizado pelo Sebrae, Donas de Negócios do Brasil (2018).  

Atendida pelo Sebrae, por meio da Regional em Açailândia, Suzana carrega um histórico de conquistas e desafios junto com seu marido, Elias Brasil. A frente da Mattriz Sport’s, com 23 anos no mercado, atua com o comércio varejista, na venda de artigos esportivos, caça, pesca e camping. Sua história de empreendedorismo começou há mais de 20 anos. A atividade anterior a de empresária foi de bancária, após sair do banco na época, entrou no segmento por necessidade. O marido fundou e comandou o negócio nos primeiros dois anos da empresa, inicialmente com caça e pesca, em seguida, Suzana entrou na parte da gestão. Ao passarem por uma crise, viram a necessidade de inserirem mais segmentos próximos ao que já comercializavam, como moda fitness.

“Quando entrei no empreendimento sem conhecimento de gestão, quebrei a cabeça por tentar fazer sozinha, fechei até uma empresa. Mas tivemos a oportunidade de conhecer o Sebrae em Açailândia e mergulhamos em todo o suporte que ele podia nos oferecer, o conhecemos por uma necessidade. Ele nos ajudou no caminhar da empresa, um auxílio primordial na gestão. O segredo de sucesso é uma boa gestão que perpassa diversas áreas da empresa, então precisei recorrer a todas as capacitações do Sebrae para aprender sobre isso”, comenta Suzana.

Com auxílio do Sebrae, a empresária pôde aprimorar a condução dos negócios e ampliar, levando filiais para outras cidades da região. Nos primeiros anos eram apenas dois funcionários na loja matriz em Açailândia. Hoje são 50 funcionários no total, com matriz e uma filial em Açailândia, e ainda filiais nas cidades de Estreito, Imperatriz e uma franquia voltada para o setor de alimentação, o restaurante Vivenda do Camarão. Atualmente possui uma clientela variada, que inclui apreciadores e praticantes de esportes, escolas, prefeituras e demais públicos envolvidos com a atividade de lazer, como a pesca.

“A mulher é cada vez mais participativa no mercado. Percebemos esse crescimento em diversos setores que conduzem a economia aqui da região Pré-Amazônia, como do nosso estado. O Sebrae está atento a essas mudanças e dispõe de soluções e produtos adequados para cada necessidade, com foco no aprimoramento da gestão empresarial, para que tenham excelência, sustentabilidade e competitividade”, explica o gerente do Sebrae em Açailândia, Maurício Lima.

Capacitações
O estudo do Sebrae ainda mostra que as mulheres empreendedoras são mais jovens e ainda realizam tarefas domésticas mesmo com o próprio negócio. Nesse perfil da mulher empresária contemporânea, um outro ponto singular é que elas tem se preocupado cada vez mais com a qualificação e tem nível de escolaridade 16% superior ao dos homens.

“Busco sempre o conhecimento, a inovação, me permito desafiar e não ficar na zona de conforto e assim, o Sebrae foi a minha grande escola durante esses anos. Perpassei nas capacitações que possibilitaram entendimento em finanças, com o de Gestão Financeira, atendimento, como melhorar vendas, controles e Líder Coach, que trouxe resultados mais positivos, auxiliando de modo geral na gestão. Além de consultorias personalizadas, um acompanhamento em que pude colocar a mão na massa e obter resultados de fato. Os colaboradores também sempre são conduzidos para melhorar em suas áreas. Para quem quer empreender, a escola é o Sebrae”, afirma Suzana.

A empresária acredita que em meio à crise, a grande estratégia é se reinventar e foi o que ela fez. Buscou agregar segmentos e visualizou novas oportunidades de expansão da empresa, como no ano de 2015, em que o cenário nacional se direcionava para uma crise econômica. Mas aproveitou a oportunidade que no Maranhão, a realidade no mesmo ano caminhou diferente, nos primeiros cinco meses, foram 9.775 novos empreendimentos abertos, uma média de 72 empresas por dia, de acordo com Data Sebrae e Boletim Estudos e Pesquisas do Sebrae.

“Empretec gerou diversos processos de melhoria e correção. Foi nele que realmente vi o crescimento da minha empresa quando o fiz há mais de 10 anos, onde a gente rescreveu nossa história. Foi a chave que virou e pude olhar de maneira mais ampla várias coisas dentro da empresa, identifiquei onde errava, acertava e o que fazer em diante. Ano passado tivemos crescimento elevado na loja de Imperatriz, por exemplo, mais de 20% de clientes e estamos sempre buscando melhorar”, pontua a empresária.

Projeto Empreendedorismo Feminino
Segundo a diretora de Administração e Finanças do Sebrae no Maranhão, Rachel Jordão, única mulher na diretoria executiva da instituição, o Maranhão é um dos 10 estados que estão recebendo recursos do Sebrae Nacional para desenvolver este projeto pioneiro de empreendedorismo feminino, lançado no Maranhão em novembro de 2018. “Aqui no Nordeste, apenas o Maranhão e a Bahia estão incluídos nesta iniciativa. Conseguimos essa vitória, ao mostrarmos que há quase 300 mil mulheres donas de negócios no estado e que um a cada três empresários maranhenses são do sexo feminino. Aqui estão cerca de 4% de todas as mulheres empreendedoras do país. As mulheres estão assumindo cada vez mais o papel de protagonista no mercado empresarial local. A prova disso é que, segundo a pesquisa GEM, quase a metade dos MEI existentes no país são mulheres (48%)”, afirma a diretora Rachel Jordão.
Assessoria Sebrae.



Nenhum comentário:

Postar um comentário