Adsense elton

terça-feira, 21 de maio de 2019

Imesc divulga previsão de safra maranhense referente ao segundo bimestre de 2019

O Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc) divulgou, nesta sexta-feira (17), a Nota de Agricultura Maranhense referente ao segundo bimestre de 2019. Feita com base na análise dos dados do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sobre abril de 2019, a Nota mostra que a produção de grãos para 2019 está estimada em 4.813 mil toneladas (t), um crescimento de 8,6% em comparação com a safra de 2018.
Ainda de acordo com a nota, na estimativa de março, a produção de grãos estava projetada para 4.791 mil t., contudo, no mês de abril, houve um incremento de 0,5% impulsionado pela produção de milho, cujo acréscimo na área foi de 1,4%.
Com revisão para cima da previsão da safra graneleira maranhense, o patamar de produção de 2019 manteve-se superior ao do ano de 2018. “É importante destacar que a estimativa da produção agrícola é reavaliada pelo GCEA [Grupo de Coordenação de Estatísticas Agropecuárias do Maranhão/IBGE] mensalmente, sendo bastante comum que a previsão de safra mensurada no primeiro semestre seja superior a do segundo semestre, pois o conhecimento do volume colhido no início do ano contribui para melhorar a previsão do ano, conforme se verifica na comparação entre os anos 2017, 2018 e 2019”, pontuou Dionatan Carvalho, presidente do Imesc.
Soja e milho
Sobre a produção de soja, foi mantida a estimativa em mais de 2,8 milhões de toneladas para 2019, com crescimento estimado em 3,0% em comparação à safra do ano passado, cujo incremento na produção é de 82 mil t.
Esse acréscimo na produção está relacionado ao aumento na área plantada, tendo em vista o surgimento de novas áreas de plantio em alguns municípios, como por exemplo, Açailândia e Cidelândia. Destaca-se que Açailândia é o nono maior produtor de soja do Maranhão. Já Cidelândia ocupa a posição de nº 55 no ranking dos municípios produtores de soja, segundo informações do GCEA.
Outro destaque em 2019 foi a produção de milho, que deverá recuperar as perdas em volume de produção no ano de 2018. A cultura do milho, juntamente com a da soja, soma, aproximadamente, 93,5% do total de grãos cultivados no estado, o que representa cerca de 34,6% da produção total de grãos no Maranhão. Por conta disso, as reavaliações nessas culturas são as que mais afetam a produção total de grãos do estado.
Algodão e cana-de-açúcar
A cultura do algodão tem apresentado resultados bastante positivos desde janeiro deste ano. Comparando-se a estimativa do LSPA de abril em relação ao ano passado, o Maranhão deverá produzir, aproximadamente, 70 mil t de algodão. O peso da produção de algodão em relação ao total de grãos é de 1,5%, com produção concentrada em apenas três municípios (Balsas, Tasso Fragoso e Alto Parnaíba).
Outro ponto positivo foi a produção de cana-de-açúcar, que foi reavaliada em 2,4% em relação à estimativa do mês passado, o que contribuiu para o crescimento expressivo de 15,8% em relação à produção de 2018. Os maiores produtores de cana-de-açúcar no Maranhão são os municípios de São Raimundo das Mangabeiras (894 mil t), Campestre (401 mil t) e Coelho Neto (362 mil t) que juntos representam cerca de 67% do total de cana-de-açúcar produzido no estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário